Marcio de Oliveira Ferreira

Marcio de Oliveira Ferreira (10)

Domingo, 12 Junho 2016 14:59

Uma decisão diária

Escrito por

Sim, viver é decidir no tempo. No futuro, o sempre puro e translúcido desejo de felicidade; no presente, a expectativa, o frio no estômago entre sorrisos e perante o novo... E no passado, quase sempre uma coleção de arrependimentos e histórias tristes. E sofremos ao olhar pra trás... Não é assim? Carreira, projetos, amigos, casamento, filhos, um carro... Não raro lamentamos o que consideramos tempo perdido e nos pegamos imaginando como as coisas teriam sido se tivéssemos escolhido outro caminho naquele momento tão crucial, tão definitivo... Tão indelével.

Posso muito bem admoestar o ouvinte que se apega às palavras que lhe agradam e despreza as que lhe incomodam, ou o que a tudo ouve mas nada aplica em sua vida prática... Porém, um fato: não posso constrangê-lo a preferir um preletor local em detrimento do visitante unicamente por ser "prata da casa". É um argumento fraco, além de estimular a ideia de disputa entre categorias de preletores pela atenção do público (como se uma pudesse ser melhor que a outra). Pior: essa abordagem coloca o ouvinte como mero espectador/consumidor de produtos, diminui o valor do preletor visitante e tenta dar alguma "vantagem de consideração" ao preletor local para torná-lo competitivo à base de colher de chá... Ao final, a importância dos três é inadvertidamente depreciada.

Quinta, 31 Dezembro 2015 21:10

Como fazer um ano incrível?

Escrito por

Receitas... Elas estão por toda parte, e aos montes. Quer perder a barriguinha pro verão? Ganhar dinheiro sem sair de casa? Ter sucesso? Encontrar alguém? Ser feliz? Pois o que não faltam na internet e fora dela são listas com "trocentos" passos (ou leis, ou o que quiser) para "sei lá o que você está querendo".

Segunda, 02 Novembro 2015 11:49

Futilidade

Escrito por

Você se lembra das antigas correntes de e-mail? Piadas, boatos e pedidos de compartilhamento apareciam em nossa caixa de entrada de tempos em tempos, ciclicamente, porque sempre era novidade para alguém. Aí surgiram as redes sociais, onde esse mesmo tipo de conteúdo se repete, de novo e de novo. Surgiram também as "tretas", discussões intermináveis acerca de temas polêmicos ou fofocas da vida alheia, geralmente repletas de agressão verbal, com zilhares de curtidas e outro tanto de compartilhamentos e comentários sem fim... Existem os "mendigos de likes", os ativistas de todo gênero... Enfim, a impressão que dá é que você pode passar dias ou meses sem acessar sua rede social preferida que, quando voltar a ela, verá mais ou menos as mesmas coisas que viu da última vez em que esteve lá. Ainda assim, entretanto, existe uma tendência da maioria a acessá-la todos os dias, ainda mais com o advento dos smartphones... Mesmo que seja para ficar só olhando.

Segunda, 07 Setembro 2015 21:23

Testemunho e Silêncio

Escrito por

Na igreja, dar um testemunho significa relatar uma experiência vivida da qual se obteve crescimento e amadurecimento espiritual, naturalmente que em conformidade com a sã doutrina. O conceito é simples... Entretanto, é fato que surgiu uma espécie de "competitividade" entre testemunhos, de modo que se criaram algumas expectativas por parte dos ouvintes para que um testemunho seja considerado "bom" – as quais, infelizmente, acabam deturpando o seu real significado:

Quinta, 20 Agosto 2015 01:11

Sobre confissões

Escrito por

Não cheguei a ler o polêmico livro “Morri Para Viver – Meu Submundo de Fama, Drogas e Prostituição”, de Andressa Urach. Li apenas a proposta do livro e a reação de algumas pessoas através de seus comentários pela internet, e é sobre isso que gostaria de expor alguns pensamentos. De modo geral, as pessoas não reagem com maturidade a confissões e pedidos de perdão. Por quê? 

Terça, 07 Julho 2015 17:34

Discussões intermináveis

Escrito por

Não importa quantas vezes um mesmo tema polêmico surja numa rede social, e lá teremos milhares de comentários, réplicas, tréplicas, respostas das tréplicas, réplicas às respostas das tréplicas... A quantidade de ofensas e invocações ao nazismo, fascismo e tantos outros “ismos” é incrível – sem falar nos inúmeros erros inacreditáveis de português, os quais parecem ter sido cometidos de propósito. Seja como for, a conclusão final dessas discussões é sempre nenhuma. E, quando o mesmo tema surge outra vez, começa tudo de novo.

Segunda, 18 Maio 2015 00:05

O Cristo que eu espero

Escrito por

É natural criarmos expectativas. Elas são uma espécie de "alegria antecipada" e nos dão certa dose de motivação para alcançar o que idealizamos. Quando, porém, as coisas não acontecem conforme o esperado, é também natural experimentarmos certa dose de frustração. Assim, podemos aprender que o melhor é não criarmos muitas expectativas, a fim de minimizarmos o risco de eventuais frustrações... Mas, não nos sentiríamos frustrados se não pudéssemos criar nossas expectativas? Em outras palavras: deveríamos "sonhar baixo" apenas para evitar a eventual possibilidade de sofrimentos e frustrações, e o que viesse a mais seria lucro? Como resolver esse impasse?

Terça, 10 Março 2015 01:44

Imitadores

Escrito por

Em toda igreja é assim... Uns conhecem vários versículos e estudos bíblicos de cor. Outros, se não têm tão boa memória, esforçam-se para transpirar amorosidade num nível não menos que acima da média. Uns são ativistas, estão em todas. Outros trazem a família a algumas reuniões dominicais e se sentem felizes e satisfeitos com isso. Uns se confessam pecadores miseráveis a todo instante, enquanto outros já devem estar quase chegando à estatura do varão perfeito - e, se for possível ultrapassá-la, melhor ainda! A lista de tipos é infindável.

Moleque vem de Moloque, deus antigo ao qual sacrificavam crianças (Levítico 20.2-5). Para que a águia viva 70 anos, precisa voar para o alto de uma montanha aos 40 anos e arrancar bico, unhas e penas. Encontraram a Arca de Noé. Os gigantes da Bíblia. Microfones captaram sons diretamente do inferno. O "rá-ti-bum" cantado no "Parabéns pra você" é uma maldição. Empresas como a Procter & Gamble, Disney, Hellmann's e McDonald's financiam a obra do capeta. Uma artista coreana visitou o inferno e fez várias pinturas do que viu por lá. "Visões"... "Revelamentos"... Um carro lotado de jovens bateu e todos morreram, mas uma caixa de ovos no porta-malas saiu ilesa porque um deles respondeu com deboche à mãe aflita que Deus só poderia ir com eles se fosse no porta-malas. Discos da Xuxa tocados ao contrário possuem mensagens satânicas. E, se entramos na polêmica seara dos "Illuminati & Cia.", aí é que as histórias não acabam mesmo.